sábado, 10 de novembro de 2012

Aulas para Habilitados DF



Somente após as aulas do instrutor Leandro, passei a dirigir sem entrar em pânico e sem cometer erros grosseiros. Além de nos passar calma, ele é muito didático e sabe lidar com nossas fobias e bloqueios.




PROMOÇÃO LIGUE E CONFIRA, E AINDA, INDIQUE UM          
AMIGO E SE ELE FECHAR NO MÍNIMO 05 AULAS VOCÊ GANHARÁ UMA AULA A MAIS.
Ligue, confira e agende sua aula!!
Falta de Prática? Insegurança? Ansiedade? Traumas? Medo de dirigir?
Nós temos a solução para tudo isso!!
Trabalhamos com pacotes de 10,15 e 20 aulas.

Buscamos em sua residência!!
__________________________________________
Nosso treinamento é voltado para pessoas que:
*Que não sentem seguras em dirigir sozinhas;
*Recém Habilitadas;
*Que não dirigem há muito tempo;
*Que precisam se adaptar ao trânsito do DF;
*Que nunca praticaram após sua aprovação no DETRAN;
*Que precisam de aperfeiçoamento técnico, ou seja, conhecer melhor a máquina.
*Que sofrem de ansiedade, traumas, insegurança, medo, etc
__________________________________________
*Ensinamos entrada e saída de garagem
*Ensinamos sair nas ladeiras
*Ensinamos todas as marchas
*Ensinamos mudanças de faixas e ultrapassagem de veículos
*Ensinamos estacionar entre dois carros.
*Aulas particulares no carro do cliente

Nosso trabalho é totalmente diferenciado das auto escolas convencionais. Nós preparamos o aluno para o trânsito do dia-a-dia.


Para mais detalhes:
(61)  4103-1303
        8594-6504
        9151-1312 Wats app
        
_________________________________________________________________________________

Entendendo o medo de dirigir


Para algumas mulheres, dirigir é sinônimo de independência, liberdade e praticidade. Já para outras, apenas a possibilidade de ter que encarar o trânsito é, por si só, assustadora. Em alguns casos, essa sensação não passa de simples ansiedade; em outros, pode ser um problema maior, que chega a atrapalhar até mesmo outros momentos do dia a dia. Para deixar as mulheres mais seguras e confortáveis à frente do volante, o Petrobras De Carona Com Elas lança, na Universidade Feminina, o curso “Entendendo o medo de dirigir”.


Desenvolvido pelas especialistas Cecilia Bellina e Claudia Ballestro, o curso vai ajudar as mulheres a lidar com as fobias que as afastam do trânsito e a superar estes obstáculos.

Logo no primeiro módulo, “Conversando sobre o medo e a ansiedade”, as especialistas deixam claro que a ansiedade é uma emoção saudável, principalmente no trânsito feroz que encaramos hoje. Sendo assim, o importante é saber como administrar este sentimento e seguir em frente.

Acontece que, quando o frio na barriga ou o suor nas mãos passa a ficar mais intenso, muitas mulheres pensam em desistir. Os motivos podem ser muitos, desde o risco em si até o medo das críticas. O segundo módulo, “A fobia de dirigir”, vai ajudar as mulheres a enfrentar esses obstáculos.

Ainda assim, em alguns casos, como mostra o módulo “O tratamento para a fobia de dirigir”, é preciso um acompanhamento mais próximo, com profissionais especializados e aulas práticas, para que a convivência no trânsito passe a ser cada vez mais natural.

Mesmo depois de passar por todas essas etapas, ninguém está livre de sentir uma pontinha de insegurança quando está sozinha dentro do carro. É natural, até. Pensando nesses momentos, as especialistas Cecilia Bellina e Claudia Ballestro montaram para o quarto e último módulo do curso um “Guia de Autoajuda”, que pode ser consultado a qualquer momento e ajudará a manter a autoestima em dia dentro e fora do trânsito.


Fonte: http://blog.bolsademulher.com/decarona/2011/09/19/entendendo-o-medo-de-dirigir/

quarta-feira, 9 de maio de 2012

Dicas de segurança no trânsitoa


É fácil principalmente para quem mora em cidades grandes flagrar além de absurdos cometidos no trânsito, presenciar acidentes cometidos por diversos fatores, muitos deles por pura negligência.
As estatísticas demonstram que, a cada ano, são centenas de milhares as vítimas de acidentes de trânsito no Brasil. Dentre elas, aproximadamente 50 mil são vítimas fatais, das quais 30 mil morrem no local do acidente. São computados em dezenas de milhares também, os sobreviventes que se tornam inválidos.
Por esse motivo, este artigo servirá para alertar todo o motorista a assumir uma postura defensiva ao guiar um veículo, e muni-lo de informação para a diminuição dessa triste estatística.
O impacto social causado pelas mortes no trânsito é muito intenso, pois a grande maioria das vítimas tem entre 18 e 35 anos e pertence à faixa economicamente mais produtiva e ativa da nossa sociedade.
Quando analisamos as estatísticas envolvendo motos, os números são ainda mais impressionantes. As motos representam aproximadamente 7% da frota brasileira de veículos, mas estão envolvidas em 35% dos acidentes.
Todos nós somos usuários diários do trânsito, seja como passageiros, pedestres ou condutores. Somos responsáveis pelo bem estar desse meio social. Porém, quanto à segurança no trânsito, sem dúvida a maior responsabilidade cabe aos condutores.
Muitos motoristas não têm consciência desta responsabilidade. É comum ouvirmos relatos de acidentes onde o condutor aponta como “culpa” a falta de acostamento, a chuva, um buraco na pista, entre diversos outros fatores.
Após analisar as causas de milhares de acidentes, foi possível chegar às seguintes conclusões:
90% dos acidentes são causados por falhas humanas.
4% são causados por falhas mecânicas.
6% são causados por má condição das vias.
A partir destes dados, verificou-se também que a grande maioria das falhas humanas pode ser evitada, tomando-se alguns cuidados básicos. Esses procedimentos foram analisados e sistematizados: o conjunto destas técnicas recebe o nome de Direção Defensiva para condutores de veículos de quatro rodas e Pilotagem Defensiva para condutores de veículos de duas ou três rodas. A prática desses procedimentos está ao alcance de todos os condutores.
Definição
Dirigir ou Pilotar defensivamente é evitar acidentes ou diminuir as conseqüências de um acidente inevitável, apesar dos erros, das condições adversas e da irresponsabilidade de outros condutores e pedestres.
Desta definição podemos concluir que:
§  Os acidentes geralmente são causados pela combinação de diversos fatores. O fator mais relevante é chamado de causa principal do acidente. Esse fator pode ser: excesso de velocidade, erros na previsão de ações de outros motoristas, desrespeito à sinalização ou normas de trânsito, negligência na avaliação das condições adversas, falta de habilidade para conduzir com segurança, etc.
§   O condutor defensivo altera conscientemente o encadeamento dos fatores que resultariam em um acidente. Ele sabe que basta interferir, de forma positiva, em um ou mais destes fatores, para que o acidente não aconteça.
§  Motorista defensivo é aquele que utiliza constantemente as técnicas de Direção e Pilotagem Defensiva, enquanto dirige seu veículo. Deste modo, ele evita acidentes, tornando assim o trânsito muito mais seguro, para si próprio e para as demais pessoas.
Lembre-se: conhecer as técnicas não basta. É preciso alterar o comportamento, incorporando essas técnicas ao dia-a-dia, reconhecer e abandonar antigos vícios e maus hábitos, de forma a automatizar os procedimentos e as atitudes corretas.
Outra característica importante do condutor defensivo é a de que ele fica satisfeito em evitar o acidente, independente de quem tenha razão ou de quem seja a culpa.
É importante saber que, em qualquer acidente, ocorre pelo menos uma destas três falhas humanas:
§  Negligência
§  Imprudência
§  Imperícia
A negligência pode ser definida como descaso, displicência ou desleixo. Muitos acidentes e mortes são causados por negligência:
§  Do órgão com jurisdição sobre a via, quando deixa de fazer a manutenção e instalar ou reparar a sinalização.
§  Do proprietário do veículo, quando permite que condutores não habilitados ou sem condições de dirigir conduzam seu veículo.
§  Do condutor, quando insiste em conduzir um veículo mal conservado ou fora dos padrões de segurança.
§  Do condutor, quando não obedece às leis de trânsito e não pratica as técnicas de Direção ou Pilotagem Defensiva.
A imprudência, elemento de presença constante no trânsito brasileiro, o motorista imprudente é aquele que: 
§  Expõe a si próprio e às demais pessoas a riscos desnecessários, sem medir as conseqüências.
§  Mesmo percebendo a precariedade de sinalização e conservação de uma via, continua conduzindo com velocidade incompatível.
§  Dirige perigosamente, sem levar em consideração condições adversas existentes no momento em que trafega.
A imperícia ou falta de habilidade é uma importante causa de acidentes. Geralmente é proveniente de má formação ou treinamento inadequado do condutor que:
§  Não está suficientemente capacitado ou familiarizado para usar determinado tipo de veículo.
§  Não sabe o que fazer ou tem reações impróprias frente a situações adversas.
§  Não sabe como agir em situações de emergência.
Agora você já sabe, não entre nos 90% das estatísticas, seja prudente, consciente e defensivo na direção.
O SS abordará esse tema constantemente com várias dicas, dentre elas elementos como: conhecimento, atenção, previsão, habilidade e ação!
FONTE: Street Sampa.

Autoescola


MOTORISTAS:
Ao falarmos em leis de trânsito, estamos falando em responsabilidade, mudanças de comportamento e educação. Sobretudo, em cidadania.
O cinto de segurança é um dispositivo simples que serve para proteger sua vida e diminuir as conseqüências dos acidentes. Ele impede, em casos de colisão, que seu corpo se choque contra o volante, painel e pára-brisas, ou que seja projetado para fora do carro.
O uso do cinto de segurança é obrigatório, tanto para o motorista como para os passageiros.
Ao dirigir não consuma bebida alcoólica. O álcool anestesia o corpo, inibe os reflexos e a percepção, provocando excesso de confiança e segurança desmedidas. O resultado quase sempre é o risco de vida.
Evite usar o telefone celular ao dirigir, mesmo que seja viva-voz, pois reduz a sua concentração.
Respeite os pedestres, os ciclistas e os motociclistas.
Evite fumar ao dirigir. Mantenha as duas mãos segurando firmemente o volante.
Reduza a velocidade perto de escolas, hospitais, igrejas e pontos de ônibus.
Seja um motorista defensivo, dirija de modo a evitar acidentes, apesar das ações incorretas dos outros condutores e das condições adversas que encontrar nas vias de trânsito.
A sinalização é o meio de comunicação entre motoristas no trânsito, portanto sinalize sempre, informe ao outro motorista o que você vai fazer.
Estacionar sobre a faixa de pedestre ou na área de cruzamento é infração grave, fique atento.
Evite estacionar sobre as calçadas, em fila dupla, em pontes, em túneis, viadutos, ciclovias, canteiros centrais e divisores de pistas.
Mantenha-se atento ao trânsito quando estiver dirigindo, não assista televisão a bordo.
Evite ouvir som em volume que não permita escutar os sons do seu próprio veículo e dos demais.
Onde não houver sinaleira dê a preferência ao pedestre.
Se participar de discussões fortes com familiares, no trabalho ou por qualquer outro motivo, evite dirigir, até se acalmar.
Não dirija se ficar muito tempo sem dormir, dormir pouco, dormir muito mal ou ingerir alimentos pesados, que acarretem sonolência.
Não jogue lixo pela janela dos carros.

MOTOCICLISTAS: 
Use sempre os equipamentos de segurança: Capacete, roupas resistentes na cor clara ou com tarjas refletivas.
Independente do horário ande sempre com os faróis acesos.
Quando chover pare a moto e espere estiar.
Pare sempre antes da faixa de segurança para pedestre, assim você evita acidentes. Com pedestre é preciso todo cuidado.
Use uma antena corta linhas e evite acidentes com linhas temperadas. 
Evite passar por cima de canteiros, divisores de pista, canaletas e gramados, pois é proibido.
É proibido transitar sobre calçadas e ciclovia.
Utilize sempre o capacete de segurança.
Os passageiros de motocicleta, motonetas e ciclomotores só poderão ser transportados utilizando o capacete de segurança.

CICLISTAS: 
Obedeça a todas as leis de trânsito. Ao furar um sinal vermelho ou cometer qualquer infração do trânsito você pode ser multado, portanto conduza a bicicleta como você dirige o carro; Use sinalização refletiva, espelho e campainha.
Dê preferências às roupas claras e use capacete. A cabeça representa 90% das fatalidades em mortes.
Pedalar a noite com roupas escuras, sem farol nem refletores é uma ameaça ao trânsito.
Prefira as ciclo faixas e ciclovias. Se não for possível, pedale sempre à direita. Siga o fluxo do trânsito, jamais na contramão. Ande em linha reta. Não faça ziguezague. Cuidado para não surpreender o motorista. Quem leva a pior é você.
Sinalize com gestos suas intenções de manobras. Faça-se bem visível.
Respeite o pedestre. É proibido por lei andar nas calçadas. Vá devagar próximo aos pedestres e tenha cuidado com crianças brincando. Use campainha.
Pare antes da faixa se houver pedestre atravessando.
Se for atravessar pela faixa, desmonte.
Evite pedalar lado a lado com outra bicicleta. Use o bom senso, prefira conversar pedalando em ruas não movimentadas.
Verifique antes de sair pneus e freios. Faça manutenção periódica e leve ferramentas básicas.
Pedale defensivamente. Perceba as intenções do motorista. Fique atento aos veículos que podem surgir de repente de uma rua ou entrar cortando a sua frente.
Não pedale colado atrás dos veículos. Esteja sempre pronto para frear e cuidado com o chão liso.
Você faz parte do trânsito e tem direito: não deixe que os carros o forcem para o lado. Eles devem por lei manter uma distância de 1,5 m no mínimo. Você tem direito à faixa. Mesmo assim, evite ruas movimentadas e a “disputa” com os carros.
Nunca ande nas vias exclusivas para ônibus. Os motoristas nem sempre percebem os ciclistas.

PEDESTRES: 

Use sempre a passarela ao atravessar vias de alta velocidade.
Atravesse sempre na faixa de segurança para pedestre.
Espere na calçada, olhe para os dois lados e atravesse com a máxima atenção.
Olhe sempre os dois lados.
Ao descer do ônibus não cruze na frente do veículo.
Pedestre vivo é aquele que atravessa na faixa de segurança para pedestre.
Desfile com segurança: use a passarela.
Ao sair à noite, prefira usar roupas claras.


CRIANÇAS:
Nunca atravesse a rua correndo. Você pode cair.
Só atravesse onde você possa ver os veículos e ser visto por eles.
Não brinque na rua, brincar é bom, mas com segurança é melhor ainda. Assim, você não coloca sua vida em risco.
Segure bem firme a mão do adulto que estiver atravessando a rua com você.
Brinque com segurança em locais certos: praças, parques, jardins, quintais, pátios das escolas ou campos de futebol.
Cuidado! Nunca corra na rua atrás de pipas, bola ou de qualquer animalzinho.
Ande na calçada, sempre afastado do meio fio e tenha cuidado com portões e garagens.
Atravesse a rua na faixa de segurança para pedestre e em linha reta sempre olhando para os dois lados.
Evite ficar sozinho dentro de um veículo, e se isso acontecer não mexa no volante, pedais e outros equipamentos. Você pode colocar o carro em movimento e não saber como controlar.
Se você tem menos de 10 anos, sente no banco de trás e não esqueça de colocar o cinto de segurança.
Quando você estiver dentro de um veículo não mexa nas maçanetas das portas. Elas poderão abrir e ocasionar um grave acidente.
Não coloque as mãos e cabeças para fora do veículo, mesmo que ele esteja parado.
Evite brincadeiras dentro do veículo para não distrair o motorista.